Notícias Fecomercio

13 de julho de 2018

Proporção de famílias paulistanas endividadas cai pelo 3º mês seguido em junho, mas inadimplência segue estável


Empresário do varejo que concede crédito deve ficar atento, pois risco de não pagamento aumentou

Embora as famílias estejam se endividando menos na cidade de São Paulo, a dificuldade de acertar as contas em atraso permanece. É o que mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

 

Em junho, a parcela de famílias paulistanas que possuem algum tipo de dívida caiu pelo terceiro mês consecutivo, atingindo 49,4%, quedas de 1,7 ponto porcentual em relação a maio (51,1%) e de 0,3 p.p. na comparação com o mesmo mês do ano passado (49,7%). Em termos absolutos, são 1,92 milhão de famílias endividadas.

Apesar da queda, o nível de inadimplência se manteve praticamente estável (19,2%) em relação ao mês passado (19,3%) e a junho de 2017 (19%). Com isso, o dado aponta que 750,4 mil famílias não estão conseguindo pagar as dívidas em dia, e o atraso, em grande parte, passa dos 90 dias (51,7%).

A pesquisa mostra que o porcentual de famílias que não terão condições de pagar as dívidas em atraso no próximo mês – ou seja, que permanecerão inadimplentes – caiu de 9% em maio para 8,1% em junho, taxa praticamente igual à do mesmo mês do ano passado (8,2%).

Com a queda do endividamento e a manutenção da inadimplência, a FecomercioSP ressalta que o empresário do comércio deve ficar atento, uma vez que o risco de não pagamento aumentou. Nesse cenário, uma maneira de diminuir o risco de calote e melhorar o fluxo de caixa é facilitar o pagamento à vista. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias